Como Escolher um Fundo de Investimento Para Seu Perfil? | Focalise
Finanças Pessoais

Como escolher um fundo de investimento para seu perfil?

como escolher um fundo de investimento
Focalise
Escrito por Focalise

Saber como escolher um fundo de investimento é uma das habilidades mais importantes que um investidor pode ter, sendo mais relevante que o próprio conhecimento sobre finanças e investimentos de modo geral.

Essa escolha, quando feita de forma errada, sem observar o perfil e os demais pontos que mostraremos neste artigo, pode significar o seu fracasso no mercado de investimentos, ou seja, simplesmente, perder dinheiro.

Nosso objetivo com este artigo é mostrar o que são fundos de investimento, suas características, principalmente em relação aos riscos envolvidos, bem como dar dicas valiosas de como acertar na escolha da aplicação. Confira!

Conheça os fundos de investimento, definição e riscos

Basicamente, um fundo de investimento é uma carteira de ativos financeiros, oferecida por uma administradora, que disponibiliza cotas com o objetivo de captar recursos para alguma finalidade específica.

Em outras palavras, funciona como um condomínio, em que cada pessoa adquire uma cota, ou seja, um apartamento, e paga uma mensalidade para o “administrador”, proprietário do espaço, que tem suas próprias regras bem estabelecidas.

É uma aplicação financeira que reúne os recursos de vários investidores (cotistas) com o objetivo de comprar e vender títulos e valores mobiliários no Brasil e, dependo da regra do fundo, no exterior, obtendo lucros ao longo do processo.

O total de recursos aplicados no fundo por seus vários investidores é o seu patrimônio, assim, ao investir nele o valor é aplicado e convertido em cotas, que representam frações desse patrimônio.

Cada investidor, ou cotista, possui um número proporcional de cotas de acordo com o valor que ele investiu, sendo assim, quanto maior for o valor aplicado, maior será o percentual dele sobre o patrimônio, consequentemente, maior será o retorno financeiro sobre o capital investido.

Podemos considerar o investimento nos fundos uma aplicação segura, uma vez que a Comissão de Valores Mobiliários (CMV) e a Associação Brasileira das Entidades do Mercado Financeiro (ANBIMA) regulamentam e fiscalizam de perto as movimentações desse mercado.

Todos os fundos de investimento são registrados no portal da CMV, que pode ser consultado antes de você investir.

Quando falamos em “aplicação segura” não estamos afirmando que os fundos de investimentos possuem baixo risco, mas que existem análises que podem ser feitas de modo a diminuir as possibilidades de perder dinheiro, como veremos a seguir.

Dicas sobre como escolher um fundo de investimento

Avalie seu perfil e os riscos envolvidos

Como mencionamos, os fundos de investimento possuem certo grau de risco, na maioria dos casos, maiores que uma aplicação financeira considerada tradicional, no entanto, existem fundos menos arriscados que outros.

Os fundos de renda fixa, por exemplo, são considerados de risco menor e, por esse motivo, costumam ser escolhidos pela maioria dos investidores com perfis conservador ou moderado.

Entender o seu perfil de investidor também é importante para selecionar um fundo de investimentos para você.

Existem três: o agressivo ou arrojado, que não se preocupa muito com os riscos e visa exclusivamente o retorno; o conservador, que está mais preocupado em não perder dinheiro que ganhar; e, por último, o moderado, que é a medida de um pouco das características de cada um dos perfis anteriores. Este último não tem aversão ao risco como o conservador, mas também quer que seus rendimentos tenham boa rentabilidade, porém, prefere enfrentar riscos moderados.

Avalie os seus objetivos

Após definido o seu perfil e analisados os riscos envolvidos, você necessita definir os objetivos para aplicar seu dinheiro em fundos de investimentos.

Existem os prazos de aplicação, outra questão que deve ser avaliada tomando como base os objetivos de curto, médio e longo prazo do investidor.

O ideal é que o dinheiro fique investido por um determinado período de tempo (para conseguir o benefício de um imposto de renda menor), sendo assim, se você presume que em um futuro breve necessitará de retirar o valor investido, talvez um fundo de investimento não seja a aplicação ideal para você agora.

Muitos investidores negligenciam essa etapa de análises de objetivos, mas ela é fundamental para o seu sucesso nesse mercado, independentemente do tipo de aplicação que você deseja fazer.

Considere a taxa de administração

A segunda dica sobre como escolher um fundo de investimentos adequado ao seu perfil está ligado à cobrança das taxas de administração.

É importante verificar essa questão, pois ela estará diretamente ligada à rentabilidade da sua aplicação.

Fique atento principalmente à fundos de renda fixa que cobram taxas de administração acima de 1%, pois nesta categoria de fundo o gestor pode ter dificuldade em entregar boa rentabilidade se a taxa de administração for elevada.

Aqui vai uma dica: Quando você observa as rentabilidades mensais do fundo, dela já estão retiradas as taxas.

Analise a taxa de performance

Além da taxa de administração, também pode ser cobrada a de performance.

Funciona da seguinte forma: o fundo de investimento fixa um indicador de resultado, chamado de “benchmark”. Caso o investimento tenha uma rentabilidade superior ao valor definido no indicador, é cobrada uma taxa sobre o excedente, conhecida como taxa de performance.

Exemplificando, se um determinado benchmark era de 10% e o fundo de investimento teve uma performance de 13%, então haverá um excedente de 3%. Assim, sobre esse último percentual será aplicada a taxa de performance.

Mais uma dica: Consideramos a taxa de performance uma taxa “boa de pagar”, pois significa que o gestor está conseguindo resultados acima do benchmark.

Analise o valor aplicado inicialmente

Após analisados os itens anteriores, você já deverá ter uma noção aproximada do fundo de investimento que deverá escolher. Mas, antes que isso seja feito, mais um ponto deverá ser analisado: o valor a ser aplicado.

Você precisa saber que existem valores mínimos para serem aplicados em fundos de investimentos. Se o investidor não tiver a quantia disponível, não poderá participar do fundo.

Para os investidores iniciantes, recomendamos que comecem com fundos que possuem a aplicação inicial mais baixa e, na medida em que conhecimentos e experiências desse mercado forem sendo agregados, aplicações iniciais mais altas poderão ser realizadas.

O processo de escolha dos fundos de investimentos começa com uma simples análise de perfil e objetivos, passando pela análise detalhada dos riscos envolvidos e termina com a verificação das taxas cobradas e valores a serem aplicados.

Gostou deste artigo? Seguindo estas dicas de como escolher um fundo de investimento você estará preparado para selecionar aquele mais adequado ao seu perfil. No entanto, para garantir o seu sucesso neste mercado, que tal conhecer um pouco mais do profissional especializado em assessoria de investimentos?

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

Share This
Navegação
[d]
[d]
[d]
[d]