Conheça 7 investimentos de alto risco para investidores de alta renda
Gestão de riscos

Conheça 7 investimentos de alto risco para investidores de alta renda

Investimentos de Alto Risco
Focalise
Escrito por Focalise

Os investimentos de alto risco são aqueles em que não há garantias quanto ao recebimento e que, normalmente, podem sofrer alterações intensas em pouco tempo. Ou seja, não é possível ter a total previsibilidade sobre quais serão os ganhos na hora do resgate ou até se vai haver rentabilidade.

Ao mesmo tempo, são ótimas opções para fazer crescer o patrimônio. Com conhecimento e sangue frio, é possível obter ótimas rentabilidades — já que, quanto maior for o risco, maior tende a ser a recompensa.

Pensando nisso, conheça 7 investimentos com riscos elevados e grandes possibilidades para quem tem alta renda.

1. Ações individuais de empresas

O mercado de ações, especialmente o investimento na Bolsa de Valores, traz muitas oportunidades. Você pode alocar seus recursos em ações de diversos empreendimentos e, para diminuir o risco, as escolhidas tendem a ser aquelas que oferecem boa segurança.

Porém, é possível mudar esse panorama e adotar um dos investimentos de alto risco. Nesse caso, pode-se recorrer às opções de negócios menos seguros, como as empresas novatas, as que atuam em mercados com muita flutuação ou as que passam por períodos de dificuldade.

O risco é proporcional à possibilidade de rentabilidade. Caso ocorra alguma valorização, é possível obter o retorno de forma prioritária e elevada.

Para aumentar as possibilidades — e não as garantias — de ganho, é viável apostar em ações individuais. Nesse caso, o investidor adquire as ações por conta própria em vez de participar de um fundo. Com isso, há menos taxas e a possibilidade de lucros mais altos.

2. Day trade

As operações de day trade são aquelas em que há um aproveitamento das flutuações de valores ao longo de um único dia. São operações de curtíssimo prazo e que, justamente por isso, tendem a ser mais arriscadas.

Ao mesmo tempo, é uma excelente maneira de aproveitar condições específicas, como um pico de valorização que, em outros prazos, termina diluído.

A prática de day trade é especialmente conhecida quanto a ações. Nesse caso, o investidor compra a ação e revende, no mesmo dia, ao ocorrer a valorização.

Com bastante entendimento e acompanhamento do mercado, há boas chances de lucrar com essa operação, além de garantir alta liquidez.

3. Investidor-anjo de startups

Nos últimos anos, o Brasil vem encarando uma explosão de startups. Pequenas, escaláveis e capazes de gerar alto valor, elas precisam de recursos para penetrar no mercado e se consolidar. O risco, porém, mora no fato de que um negócio como esse pode não vingar e jamais oferecer o retorno esperado.

Por outro lado, não são raros os casos de empresas que começaram assim e explodiram em lucros para seus investidores. O Airbnb, que hoje vale mais de 30 bilhões de dólares, começou dessa mesma maneira.

Ser um investidor-anjo é mais que apenas oferecer o dinheiro e também inclui contribuir com expertise e direcionamento da empresa rumo ao sucesso.

Seu principal benefício, portanto, é que permite apoiar negócios inovadores ao mesmo tempo em que possui uma grande capacidade de retorno, dependendo da escolha para receber o aporte.

4. Contratos futuros

Os contratos futuros relacionam-se a commodities, que são compradas por um preço fixo e que podem ser vendidas pelo valor de mercado, ao final do contrato. É comum que o mercado futuro envolva produtos como petróleo e itens agropecuários.

Para entender melhor, considere que você compra uma determinada quantidade de barris de petróleo em um contrato futuro por um valor de 50 dólares.

No encerramento do contrato, houve uma valorização, que levou o preço do barril para 100 dólares. Como é possível vender pelo preço de mercado, consegue uma excelente rentabilidade.

Porém, o risco é que pode haver uma desvalorização perto do encerramento do contrato. Com isso, você paga mais caro, vende mais barato e leva prejuízo.

Com uma boa análise, contudo, é possível fazer boas previsões de oferta e demanda, de modo a realizar um investimento com grandes chances de ter ótimos resultados.

5. Certificado de Operações Estruturadas (COE)

Certificado de Operações Estruturadas (COE) é uma espécie de título centralizador que reúne diversos ativos, inclusive da renda fixa e variável. Seu retorno normalmente está anexado a índices, que podem ser nacionais ou internacionais.

De certa maneira, é como fazer um único investimento, mas com uma carteira bastante diversificada. Embora isso diminua os riscos em certo sentido, o valor não é garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Com isso, a entidade emissora do título pode quebrar e não retornar a rentabilidade e nem o dinheiro para os investidores. Além disso, a flutuação dos índices a mercado pode prejudicar a rentabilidade, especialmente em curto e médio prazo.

Porém, seu benefício é que, caso não haja um resultado adequado, o valor inicial é devolvido ao final. Com isso, não há riscos de prejuízos ou perdas reais.

6. Ofertas públicas

Uma oferta pública é utilizada por empresas para disponibilizar ativos e captar recursos para a sua atuação. Ou seja, os papéis podem surgir na forma de ações, cotas de fundos de investimento, ativos imobiliários e outras questões do tipo.

Se o processo acontece pela primeira vez, é chamado de oferta pública inicial (IPO). Caso os recursos se destinem para a própria empresa, é chamada de primária. Já se o capital for para acionistas ou cotistas vendedores, é secundária.

Os maiores riscos referem-se à atuação e aos resultados do próprio empreendimento, assim como as oscilações de mercado.

Novamente, uma mudança positiva no setor pode impulsionar os ganhos, fazendo deste um dos ótimos investimentos de alto risco.

7. Câmbio

Para se proteger contra as oscilações do mercado internacional, uma boa possibilidade consiste em investir em câmbio.

Nesse caso, pode haver a compra de títulos (inclusive futuros) em dólar, euro, libra ou qualquer outra moeda desejada pelo investidor. Há, ainda, a opção de trading conhecida como FOREX, que é de curtíssimo prazo.

Com a valorização, há ganhos. Porém, esse é um mercado imprevisível e acontecimentos internacionais diversos podem derrubar o valor da moeda, gerando prejuízos que precisam ser contemplados.

O maior benefício, entretanto, é lidar com a relativa desvalorização do real, de modo a obter efeitos mais robustos em situações positivas.

Conhecendo esses investimentos de alto risco, é possível diversificar sua carteira e ter aumentar suas possibilidades de lucros. Portanto avalie qual deles é mais vantajoso para você, estude o mercado e invista!

Tem alguma dúvida ou consideração para fazer? Deixe um comentário abaixo!

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

Share This
Navegação
[d]
[d]
[d]
[d]