Tudo o que você precisa saber sobre robôs de investimento
Robôs de Investimentos

Tudo o que você precisa saber sobre robôs de investimento

O que são robôs de investimentos
Focalise
Escrito por Focalise

A área de investimentos passou a perceber que a tecnologia pode ser uma grande aliada nas aplicações do mercado financeiro, tornando os diversos tipos de operações mais simples e inteligentes.

Assim, a utilização de robôs de investimentos tem sido uma tendência vantajosa, já que reduz o efeito humano na disciplina operacional, possui maior precisão, e as entradas e saídas são executadas precisamente no momento certo. E robôs não ficam cansados, não possuem excesso de confiança e não seguem o “efeito manada”, problemas comuns aos seres humanos no mercado.

A aposta é que esse tipo de solução seja, então, cada vez mais, incorporada às operações financeiras, oferecendo serviços mais personalizados para o perfil e os objetivos de cada pessoa. O uso dessa estratégia tem maximizado o retorno e minimizado os riscos e os custos.

Então, o que são os robôs de investimentos? Como funcionam? Quais as vantagens? Se você busca respostas para uma ou todas as perguntas anteriores, continue a leitura e tire agora todas as suas dúvidas!

O que são robôs de investimento?

Atualmente, boa parte das operações financeiras de compra e venda é realizada manualmente. Porém, é possível automatizar todo esse processo por meio de robôs de investimento. No entanto, o que são eles?

Robôs de investimento são programas que utilizam a análise de bancos de dados e do comportamento histórico dos preços para determinar qual a melhor hora de vender ou comprar ativos em determinado momento — sem que o fator humano esteja envolvido no processo.

Em linhas gerais, robôs de investimento são inovações disruptivas que estão relacionadas ao uso de algoritmos (sequência de ações lógicas) para determinar uma ação em determinado evento.

É importante destacar que o robô de investimento, também chamado de robô trader, executa as operações de compra e venda em modo 100% automatizado, sem qualquer intervenção humana. O único contato humano ocorre durante o desenvolvimento e a otimização do sistema.

Os robôs investidores definem o perfil do investidor e delimitam qual o grau de risco e quais as melhores opções para colocar o dinheiro.

Afinal, como os robôs de investimento funcionam?

Muito se tem falado sobre os robôs que investem dinheiro e, timidamente, tais soluções têm conquistado espaço entre os “investidores brasileiros”. Os robôs de investimentos nada mais são do que algoritmos que acompanham os movimentos de mercado e calculam a melhor forma de alocar os recursos.

Apesar de parecer algo um tanto “sombrio”, essa automatização tem chegado às pessoas físicas de modo simplificado. Na maior parte dos casos, as empresas que prestam esse tipo de serviço pedem para os investidores preencherem um questionário, de modo a ajustar o perfil de risco ao portfólio recomendado.

O processo é simples: o investidor entra no site ou app do robô investidor e preenche uma ficha para que o sistema descubra qual é o seu perfil e quais são os seus objetivos financeiros. Essa é uma das partes mais importantes para a escolha dos investimentos ideais.

Isso porque escolher em quais investimentos aplicar dinheiro com base apenas no perfil é uma forma errada de avaliar onde investir. Você quer se aposentar cedo? Comprar uma casa? Realizar uma viagem dos sonhos? Isso define muito sobre o seu perfil de investidor.

Depois de ter o perfil e os objetivos definidos, é preciso que o investidor abra uma conta em uma corretora (que, geralmente, precisa ser parceira do robô de investimentos) e transfira o dinheiro que deseja aplicar. O robô cuidará de todo o resto e fará todos os procedimentos necessários para a aplicação do seu dinheiro.

Muitos investidores acreditam que, ao optar pelos robôs de investimentos, suas aplicações estarão “literalmente” largadas em bancos de dados. Mas não é bem assim. As empresas têm equipes especializadas que cuidarão de todo o processo, desde o suporte de definição do perfil até os pacotes de serviços de investimentos.

As plataformas de robôs de investimentos são 100% automatizadas e focadas nas aplicações. Assim, o investidor pode acompanhar todo o percurso do seu dinheiro, bem como a evolução das aplicações, o quanto estão rendendo, entre uma infinidade de outras questões.

Outra importante consideração é que, apesar de as aplicações serem gerenciadas por robôs, o investidor tem total poder de controle e decisão sobre os recursos aplicados, podendo aceitar ou não certos investimentos.

Quais os tipos de robôs que existem no mercado?

Pode parecer normal “achar” que robôs são todos iguais, mas vamos desfazer essa percepção. Não é porque eles não têm sentimentos que podemos tratá-los como se fossem todos a mesma coisa.

São vários os tipos de robôs que atuam na área de investimentos, cada um com suas características e peculiaridades e, além disso, cada um deles tem também uma forma de programação. Por isso, veremos dois tipos de robôs que rondam o universo de aplicações:

Robô advisor versus Robô de investimento ou trader

Robô advisor

O robô advisor é uma solução que permite ao investidor a gestão dos seus recursos em diferentes classes de ativos. Ou seja, é uma opção para investidores que aplicam seus recursos de forma diversificada e não têm tempo de administrar o dinheiro.

Assim, o investidor escolhe uma estratégia de gestão para investir seu patrimônio, ajustada para sua tolerância ao risco e otimizada para o longo prazo a partir de modelos matemáticos já utilizados.

Em geral, esses robôs são ideais para quem está poupando dinheiro e uma excelente opção para quem guarda quantias para aplicação em longo prazo, como aposentadoria, universidade dos filhos ou outros objetivos.

De maneira simplista, o robô advisor é uma solução automatizada de gestão e consultoria em investimentos para pessoas físicas.

Robô trader

Já o robô trader é uma ferramenta de automatização de estratégias de investimentos na bolsa de valores, baseadas, na maioria das vezes, em análises de dados técnicos ou gráficos.

A estratégia é montada para tentar identificar oportunidades de ganho com a flutuação de preço das ações negociadas na BM&Bovespa — e o robô garante que os trades serão executados dentro do prazo programado, sem atrasos.

É possível adquirir estratégias já prontas, criadas por especialistas da área, ou, ainda, que sejam estabelecidas estratégias (customizadas) de acordo com o perfil dos investidores e seus objetivos.

Esse tipo de robô é utilizado, em geral, para quem tem sólido conhecimento no mercado financeiro, permitindo ao aplicador gerenciar uma parte da sua carteira de risco, ou seja, o dinheiro reservado para aplicar na bolsa.

Principais diferenças

Robô advisor:

  • para quem é: geralmente, para investidores com perfil poupador, cujo objetivo é juntar dinheiro de forma mais eficiente;
  • estratégia de investimento: alocação dos recursos em diversas áreas de ativos, com renda fixa e variável, sendo o risco ajustável de acordo com o perfil do investidor;
  • rotina de movimentação: o investidor coloca o dinheiro e mantém por longo prazo, fazendo apenas ajustes devido ao relacionamento;
  • automatização: os cálculos de alocação e operação de ativos; monitoramento e rebalanceamento, resgate entre os diferentes ativos e divisão dos aportes são automatizados;
  • envolvimento das pessoas que trabalham com a estratégia de investimento: os profissionais responsáveis escolhem a estratégia de gestão que os robôs utilizarão.

Robô trader:

  • para quem é: investidores que têm um perfil trader ou especulado e profissionais do mercado financeiro, cujo objetivo da aplicação é ganhar dinheiro, mesmo que envolva maior risco;
  • estratégia de investimento: alocação em papéis negociados na BM&Bovespa (renda variável), na maioria das vezes, com estratégias baseadas em análise técnica ou gráfica;
  • automatização: monitoramento e identificação de oportunidades baseados em análise técnica ou gráfica, com execução precisa das entradas e saídas, são automatizados;
  • envolvimento das pessoas que trabalham com a estratégia de investimento: o contato humano é limitado. Isso porque estratégia e gestão ficam por conta do investidor. Algumas empresas oferecem estratégias prontas, montadas por profissionais analistas e traders, que o próprio cliente pode adquirir.

Os robôs de investimento são uma tendência?

Corretoras e gestores têm investido cada vez mais em robôs. Isso porque, além de facilitarem o acesso, tais plataformas se destacam como excelentes opções com custos menores.

Sem a necessidade de ambientes físicos, os robôs de investimentos conseguem oferecer taxas mais competitivas que os grandes bancos. Os investimentos realizados por meio de robôs replicam procedimentos de uma aplicação tradicional.

No site de corretores e gestores, os clientes respondem a formulários e enquetes e, a partir disso, algoritmos calculam as estratégias de acordo com o perfil dos clientes. Fantástico, não?

No entanto, a grande aposta está sendo concentrada nos pequenos investidores, principalmente aqueles acostumados à poupança, que pensam em diversificar suas aplicações em um cenário de taxa de juros em queda.

A utilização de robôs de investimento significa uma democratização dessas soluções. Isso porque, antes, era um serviço direcionado para grandes fortunas. Hoje, pessoas de diferentes classes sociais conseguem realizar investimentos e ter acesso a técnicas mais consistentes de gestão do portfólio.

Vale destacar que gestoras e corretoras têm buscado diminuir os valores iniciais de investimento, de modo a popularizar o uso de algoritmos e robôs. Por exemplo, na Warren, gestores de fundos de investimento e que começaram suas atividades este ano possibilitam que o interessado ingresse no mercado de ações por R$ 100 — sendo possível criar uma carteira de fundos aplicada em títulos públicos e ações.

O perfil do investidor é definido após uma conversa com um assistente virtual, na qual o próprio cliente delimita os objetivos e cada um deles terá uma estratégia representada por cotas nos cinco grupos distribuídos pela gestora.

De maneira geral, a Warren disponibiliza oito perfis, 30 níveis de risco e três horizontes de tempo. Com as informações obtidas, os algoritmos trabalham nas sugestões de carteira. Caso o investidor discorde, poderá realizar as mudanças necessárias. Caso aceite, cadastra-se no site, transfere o dinheiro para a gestora e torna-se cotista do fundo. O desempenho é acompanhado diretamente na plataforma.

Investir em robôs é, sem dúvidas, a grande tendência atual e dos próximos anos.

Quais as vantagens de aderir a um robô de investimentos?

A tecnologia tem revolucionado a forma de realizar negócios, e o mercado financeiro tem sido uma dessas áreas. Já pensou que incrível seria se você pudesse aplicar em vários ativos simultaneamente? Imagine o quanto você poderia lucrar ao vender e comprar ações nos momentos certos e de maneira totalmente automatizada! Graças aos robôs de investimento, tudo isso é possível.

Os robôs são as ferramentas utilizadas para automatizar os investimentos da Bolsa de Valores. Assim, ao contratar esses tipos de soluções, o investidor apenas transfere o valor, define as regras e espera as aplicações serem feitas automaticamente.

Vejamos algumas vantagens da utilização dos robôs de investimentos:

Segurança

Não há como negar: os robôs de investimentos agem seguindo regras pré-estabelecidas. Isso significa que as decisões são tomadas com precisão, o que evita falhas e erros em decorrência de estratégias mal elaboradas ou até de incorreções humanas.

Inteligência para investir

A automatização possibilita que o processamento das compras e vendas de ações seja feito com análises de mercado. Isso porque é possível programar o robô para seguir estratégias definidas, como aquelas usadas pelos maiores traders profissionais.

Serviço online

O acesso à carteira de investimento é realizado em uma plataforma online, basta ter acesso à Internet. Logo, pode ser feito de qualquer lugar e por meio de qualquer dispositivo, inclusive celulares, tablets e smartphones. É a mobilidade favorecendo o mercado de ações!

Gestão e controle nas mãos do investidor

Com os robôs de investimento, é possível ter controle total sobre a carteira de ativos. Isso porque não existe qualquer regra que controle a decisão final do investidor sobre as aplicações que estão sendo feitas. Os robôs seguem os objetivos estabelecidos inicialmente, podendo o aplicador alterar e modificar suas escolhas.

Você sabe escolher um robô de investimento?

Robôs são capazes de fazer quase tudo hoje em dia. Porém, é necessário, ainda, receberem instruções claras sobre quais caminhos seguir. Quando se fala em robôs de investimento, é preciso ter em mente que ele terá que ter parâmetros para decidir quando comprar e quando vender um ativo para obter lucratividade.

Existe uma infinidade de robôs no mercado, cada um com suas peculiaridades e configurações diferentes para tomar decisões.

Mas como escolher o que se encaixa nas necessidades do investidor? Vejamos:

Conte com ajuda especializada

Uma boa corretora — ou gestora de investimento — dará todo o suporte para a escolha do melhor robô. Ou seja, por meio de especialistas, é possível obter parâmetros sobre qual a melhor escolha e sobre como obter os melhores resultados dentro dos objetivos almejados.

Escolha um robô com bons e atuais parâmetros

Um robô operará sozinho, mas ele precisa ter instruções corretas sobre as possibilidades de chegar a melhores resultados. Isso sugere que, ao escolher um, é possível verificar quais as combinações que ele utiliza e entender os parâmetros de entrada e saída de operações.

Antes de definir os parâmetros de ação do robô, é preciso realizar os testes de verificação dos parâmetros. Por isso, antes da escolha, é preciso testá-los em ação, de modo a verificar os cenários existentes e as possibilidades de mudança. Dependendo do caso, você precisará atualizá-los semanalmente.

Verifique o desempenho do robô, mas com prudência

É preciso que o investidor entenda que, interferindo demais, ele não saberá, ao certo, qual o real desempenho dos parâmetros programados e começará, então, a ficar confuso.

Por exemplo, se o stop loss estiver programado, dificilmente, o investidor saberá se terá ou não retorno ou prejuízo. Isso significa que o dinheiro que está sendo investido não deve ser aquele retirado para suprir gastos diários ou manter as contas em dia.

E lembre-se: mesmo com robôs, ninguém acerta sempre na bolsa. Isso não existe.

Deixe o robô operando na nuvem

Umas das soluções, quando são utilizados robôs, é a possibilidade de deixá-los operando na nuvem, ou seja, o robô fica operando em uma máquina com conexão à Internet e, então, realizando todos os procedimentos necessários, sem qualquer intervenção humana.

A possibilidade de operação em nuvem torna os processos mais fáceis, oferecendo maior segurança em uma operação, sem ter um grande prejuízo.

O que é importante na hora de escolher um robô de investimento?

Pode parecer uma pergunta simples, mas a maioria das pessoas acredita que a escolha de um robô de investimento deve estar pautada apenas nos custos e no lucro líquido do investimento de tais soluções.

A questão é que você deve levantar uma série de questões antes de escolher um robô para suas aplicações, verificando, por exemplo, se o perfil de investidor é conservador e se a renda é variável, se a escolha será em títulos públicos ou privados etc. Enfim, são milhões de perguntas que rondam o universo do mercado financeiro e que devem fazer parte do processo de escolha.

Considere alguns pontos na hora de escolher o robô de investimento:

  • qual a periodicidade com que ele trabalhará: considere as opções de funcionamento, se o equipamento será operado a cada minuto, a cada dia ou outras possibilidades;
  • tamanho da periodicidade de cada média: em quantos períodos cada periodicidade contabilizará;
  • em quais horários: quando o robô começa a operar, quando começam a encerrar as entradas e quando encerram todas as operações, mesmo aquelas que já foram iniciadas;
  • peculiaridades dos robôs: alguns robôs têm características específicas, que precisam ser determinadas antes de serem escolhidos.

Será que vale mesmo utilizar os robôs de investimentos? A resposta é muito simples: sim. Os robôs de investimentos são soluções automatizadas e práticas que, via de regra, facilitam a vida de muitos investidores, até mesmo daqueles que são mais experientes, principalmente dos que não têm tanto tempo para realizar uma análise de dados.

Tais robôs são utilizados para montar carteiras de aplicações financeiras rentáveis e de acordo com os objetivos do investidor. Ou seja, ao optar por uma solução automatizada, então, é possível combinar carteiras de vários ativos diferentes conforme o perfil de quem está investindo.

Mas por que os robôs de investimento são tão importantes? São importantes porque utilizam algoritmos para encontrar os melhores resultados. Só que isso é possível levando em consideração o perfil do investidor — que é a base de tudo.

É importante destacar que, para um bom resultado,  o investidor deve conhecer e saber investir no mercado. Só assim, a finalidade de utilizar os robôs investidores será alcançada. Isso porque tais soluções não foram criadas para funcionar sozinhas com apenas o apertar de um botão.

A ideia é que o investidor possa elaborar as estratégias conforme seus objetivos. E isso envolve quantidade e qualidade.

Os robôs de investimentos já estão presentes atualmente e, em um futuro próximo, ganharão cada vez mais espaço. Dizer que um robô atua isoladamente e gera todos os resultados é um erro. A tecnologia opera no processamento de dados e na execução, mas existem profissionais por trás que fazem toda a modelagem estratégica.

Todas as operações feitas pelos robôs de investimentos seguem regras estratégicas. Um fator emocional, por exemplo, pode prejudicar qualquer investidor e não necessariamente o robô. No entanto, se o investidor é atingido (emocionalmente) e muda seu perfil, consequentemente, o robô será atingido também.

Lembre-se de que o robô de investimento é personalizável e customizável conforme a decisão da pessoa que está investindo.

Resumidamente: existem, no mercado, diversos produtos de investimento, como os de renda fixa, o Tesouro Direto, as ações, entre outros tipos de aplicações. Você pode optar por investir sozinho nesses produtos ou pode escolher o robô para fazer esses investimentos para você, de maneira mais inteligente e automatizada. Os investimentos são os mesmos, ou seja, o robô investirá nos mesmos lugares. Só o que muda é a forma.

Assim, o uso de robôs de investimento representa uma solução segura para realizar aplicações que podem facilitar a vida de muitas pessoas interessadas em ingressar no mercado financeiro!

Ficou com alguma dúvida? Nosso conteúdo deixou alguma lacuna ou você tem alguma sugestão? Entre em contato conosco e conheça nossos serviços!

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

Share This
Navegação
[d]
[d]
[d]
[d]