Preciso tocar as bolas do touro? | Carta do Economista
Carta do Economista

Preciso tocar as bolas do touro?

como investir no exterior
Mateus Weirich
Escrito por Mateus Weirich

Há quase sete anos tive o privilégio de poder estar no coração financeiro do mundo: Wall Street. Em meio a minha felicidade por estar lá, sentindo o ambiente frenético da “Big Apple” e apreciando todo o seu charme, me deparei com uma situação um tanto quanto inusitada.

Em frente ao prédio da bolsa de valores, desde 1989, o mítico touro de bronze ocupa uma das áreas mais visitadas de Manhattan. E falo mítico porque, naquele dia, descobri a magia por trás das finanças.

Enquanto aguardava na imensa fila para tirar foto com ele, reparei que quase todo mundo, após registrar o momento, fazia um carinho em suas bolas…

Claro que minha curiosidade não me permitiu sair de lá sem saber o porquê. E para minha surpresa, um indiano que estava na minha frente me explicou que, realizando o ritual, minha vida financeira iria entrar num ciclo de prosperidade.

Mas não se preocupe, não é determinante que você faça isso para ter sucesso em suas aplicações ou mesmo em investimentos fora do país. Muitos investidores de sucesso que já investem em outros mercados (inclusive em Wall Street) e obtêm bons resultados, provavelmente, não fizeram um carinho no touro.

E obviamente, “tocar nas bolas” faz parte do folclore e deve ter sido fruto da imaginação de algum marqueteiro de plantão.

E investir fora tem se tornado um assunto cada vez mais recorrente para o investidor brasileiro. Segundo reportagem do G1, uma pesquisa realizada por um comparador de investimentos avaliou 100 milhões de buscas por brasileiros na internet e identificou que, em setembro de 2016, o assunto “investimento no exterior” representava apenas 1% das buscas. Em abril de 2018, passou para 16%! Veja a matéria clicando aqui!

Atualmente, a globalização e a tecnologia nos aproximaram muito de mercados financeiros fora do Brasil. Claro que existem algumas regras e cuidados que devem ser tomados na hora de buscar essa alternativa, para isso vale a pena consultar uma assessoria especializada no assunto.

Para quem desconhece quais são as possibilidades de ativos que estão à disposição do investidor brasileiro, recomendo a leitura do artigo Como investir em Wall Street?.

Para quem ainda tem dúvida se vale a pena investir fora ou quais as principais razões que tem levado muitos investidores a pesquisar mais sobre o assunto, segue a minha sugestão de leitura: 5 Razões para buscar a internacionalização de seus investimentos.

Acredito que a diversificação de carteira é saudável para qualquer investidor. A poucos dias participei de um painel com vários gestores de Fundos Multimercados e, a maioria, atribuiu a performance positiva de seus respectivos fundos as suas posições alocadas fora do país.

Com os mercados cada vez conectados, a tecnologia destruindo barreiras e os investidores tornando-se globalizados, conhecer mercados em outros países será um “dever de casa” para um investidor completo em pouco tempo.

Para aqueles que se interessam ou acabaram se interessando pelo assunto, a equipe da Focalise fica à disposição para maiores esclarecimentos e auxílio.

Grande abraço a todos!!!

Ahhhh…. Para quem ficou curioso se eu fiz um carinho nas bolas do touro, ainda continuará…. Talvez em um próximo artigo eu revele esse segredo!

Sobre o autor

Mateus Weirich

Mateus Weirich

Graduado em Ciências Econômicas pela UFRGS.

Certificado pela ANCORD.

Investidor desde 2008.

Share This
[d]
[d]
[d]
[d]