5 razões para buscar a internacionalização de investimentos
Renda Variável

5 razões para buscar a internacionalização de investimentos

como investir no exterior
Focalise
Escrito por Focalise

Se você está pensando em aumentar seus rendimentos ou ter mais segurança financeira, é hora de considerar a internacionalização de investimentos. No mercado exterior, há uma gama de aplicações que cabem no seu bolso e são mais rentáveis e seguras do que os produtos oferecidos no mercado brasileiro.

Quer saber mais? Então continue a leitura!

Por que buscar a internacionalização de investimentos?

Antes de falarmos sobre os investimentos estrangeiros, é melhor explicarmos para por que a internacionalização é importante, correto? Então veja abaixo cinco motivos para buscar o mercado internacional!

1. Diversificação da carteira

Provavelmente você já sabe que quanto mais diversificada é uma carteira de investimentos, menores são seus riscos e maior é o potencial de ganho. Mas sabia que ao investir no exterior a diversificação fica ainda maior?

Isso acontece porque temos acesso não só a outros produtos, mas também a uma economia totalmente diferente da nossa. E seguindo a lógica de que a diversificação aumenta os ganhos e reduz o risco, quanto maior o número de lugares em que você investir, melhor.

2. Desconcentração de investimentos

Assim como a diversificação é benéfica para a carteira, a desconcentração de investimentos também traz segurança. Imagine, por exemplo, que 100% de seus ativos estejam no Brasil. O que aconteceria se o Estado entrasse em falência, mudasse de regime político, começasse uma guerra ou fosse acometido por uma pesada crise?

Apesar de improváveis, tais situações podem acontecer, e é melhor estar preparado para elas do que sofrer o impacto das mudanças pelas quais o país passa, ainda mais considerando o cenário político atual.

3. Segurança quanto à instabilidade política

Se você tem acompanhado as oscilações da Bovespa nos últimos dois anos, deve ter percebido o impacto que a política gera nos investimentos do país. E como não podemos controlar as decisões tomadas pelo Estado, o mais seguro a ser feito é espalhar recursos ao redor do mundo.

Essa estratégia é muito útil para evitar a perda de recursos, principalmente se priorizarmos países com economias e organizações políticas mais estáveis, como Suíça, Holanda e Estados Unidos.

4. Potencial do dólar

Já ouviu dizer que ganhar em dólar é muito melhor? Isso acontece pelo potencial dessa moeda. Ao fazer um investimento no exterior, além de receber a remuneração pela aplicação, sempre existe a possibilidade de ter rendimento extra em função da valorização do dólar no mercado brasileiro.

Imagine, por exemplo, que você tivesse feito uma aplicação em 2014 com o dólar sendo negociado a R$ 2,65. Em 2016, percebendo a alta da moeda, você decide liquidar o investimento e traz o dinheiro de volta para o país. Sabe o que acontece? Além do retorno do investimento, você pega o dólar cotado a R$ 4,16.

Algumas pessoas usaram essa estratégia em 2016 e aproveitaram um retorno de quase 50% em cima da moeda. Difícil rebater esse argumento, não é mesmo?

5. Maior exposição à economia mundial

Se você pesquisar, provavelmente descobrirá que nenhum investidor internacional aloca todos os seus recursos no mercado brasileiro. Investir em apenas um país é um erro, porque perdemos a exposição que a economia mundial nos possibilita.

Ao investir apenas no Brasil você corre o risco de perder oportunidades que oferecem alta rentabilidade, impulsionadas por mudanças sociais, políticas e tecnológicas ao redor do mundo.

Que opções de investimento temos fora do Brasil?

Agora que você está convencido sobre a importância de investir no exterior, vamos falar sobre as opções disponíveis no mercado financeiro. Veja os cinco investimentos que selecionamos!

1. Fundos de investimentos

Fundos de investimento nada mais são do que carteiras, normalmente com aplicação mínima de R$ 25 mil, com vários investimentos reunidos. Esses fundos trazem índices de dentro e fora do país, em alguns casos o mercado internacional é priorizado. Algumas carteiras já chegaram a atingir retornos de 60% ao ano, mas nunca inferior a 9%.

Outro ponto interessante do fundo de investimentos é que você pode fazer sua aplicação nele por corretoras brasileiras, sem a necessidade de estudar o mercado exterior ou entender como funciona a troca de câmbio.

2. Bolsa de valores norte-americana

Outro investimento atrativo é a bolsa de valores norte-americana. Gigantes do varejo, como o Walmart e a Amazon, não param de crescer, e a estabilidade da economia e do governo estadunidense permitem certa previsibilidade quanto ao trânsito de capital.

Para fazer esse tipo de investimento, é necessário criar uma conta em uma corretora dos Estados Unidos e transferir recursos para lá.

3. Exchanged Traded Funds (ETFs)

Assim como o fundo de índices brasileiro, os ETFs são carteiras compostas por vários índices que são negociados na bolsa de valores. Além de terem um custo baixo, esse investimento é diversificado e permite investir em várias empresas com apenas uma aplicação.

O investimento inicial dos ETFs é de US$ 5.000,00.

4. Exchanged Traded Commodities (ETCs)

Muito semelhante aos ETFs, os ETCs também são investimentos em conjuntos de índices. A grande diferença é que enquanto o ETF é uma aplicação feita em empresas, o ETC é feito em commodities, como metais preciosos, produtos agrícolas, fontes de energia natural, entre outros.

Dentre as commodities mais cotados temos o ouro, a soja e o petróleo. E assim como os ETFs, o investimento inicial em commodities também é de US$ 5.000,00.

5. Brazilian Depositary Receipts (BDRs)

Os BDRs são uma opção de investimento oferecida pela bolsa de valores para quem já tem, pelo menos, R$ 1 milhão em aplicações. O BDR é um benefício que a bolsa brasileira dá ao investidor, permitindo que ele invista dentro dela no mercado norte-americano.

Isso significa que o investidor, além de contar com o suporte da BM&FBovespa, não precisa se preocupar com taxas de câmbio ou compra de outras moedas. Podendo, por exemplo, investir na Apple e fugir do mercado de commodities (que é o caso de quem investe na Vale ou na Petrobrás), tudo isso pela plataforma que o investidor já conhece.

Que plataforma de investimentos podemos utilizar?

Se você achou interessante os ativos que mostramos neste texto, temos uma boa notícia: existe uma forma de operá-los, a partir da America do Sul, graças a uma parceria que firmamos. Com aplicações mínimas de U$ 5.000,00 (também o mínimo necessário para investir em ETFs e ETCs), o SAXO Bank oferece suporte para investidores brasileiros indicados pela Focalise.

Para utilizar essa plataforma você precisa criar uma conta no site da Cappoz e aguardar o contato de um agente para validar o cadastro. Durante o contato, diga que foi indicado pela Focalise. Depois é só investir!

E lembre-se: quanto mais diversificada for sua carteira, maiores são as chances de aumentar sua rentabilidade e reduzir os riscos. E nada faz esse trabalho melhor do que a internacionalização de investimentos e exposição do capital à economia mundial.

E aí, investidor, gostou do conteúdo? Quer mais dicas como essas? Então assine nossa newsletter e receba conteúdo novo por e-mail!

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

Share This
Navegação
[d]
[d]
[d]
[d]