5 fundos de investimento assustadores
Renda Fixa Renda Variável

5 fundos de investimento assustadores

Focalise
Escrito por Focalise

O ano é 2021 e ainda vemos alguns fantasmas na indústria de fundos

Fonte: XP Investimentos

Passamos pelo 31 de outubro – o tradicional Dia das Bruxas ou Halloween. Em linha com essa festividade, ainda vemos hoje os grandes bancos praticando travessuras na indústria de fundos.

Refiro-me aos fundos de investimento que possuam uma estratégia 100% passiva – ou muito próximo disso – e cobrem taxas de administração muito acima da média da indústria. São fundos que acumulam bilhões de reais de milhares ou dezenas de milhares de cotistas, que poderiam ter o patrimônio melhor investido em diversas alternativas nas plataformas de investimento.

A seguir, separamos 5 desses fundos que mais assustam e o motivo da assombração.

Fundos de Renda Fixa Simples

Os fundos da categoria “Renda Fixa Simples” são, como o próprio nome indica, os fundos mais simples da indústria. São estratégias que compram majoritariamente títulos públicos pós-fixados, atrelados à taxa DI. Ou seja, os fundos possuem uma estratégia passiva, e a gestora tem o trabalho praticamente operacional de comprar LFT’s no mercado de títulos públicos.

A título de exemplo, nas plataformas da XP é distribuído o fundo Trend DI Simples FIRF, da categoria Renda Fixa Simples e que cobra taxa zero de administração.

Entretanto, há fundos que cobram caro por esse serviço.

#1 Caixa Fácil FIC FIRF Simples

O fundo de Renda Fixa Simples da Caixa Econômica Federal cobra 2,00% de taxa de administração, tem 366.659 cotistas e acumula incríveis R$ 11,4 bilhões de patrimônio líquido (fonte: Quantum Axis, data base 28/10/2021).

No ano, até o dia 28/10, o fundo rende 51% CDI.

#2 BB FIRF Simples

O fundo do Banco do Brasil cobra 1,25% de taxa de administração. Embora seja mais barato que o fundo da Caixa, ou melhor, menos caro, o BB FIRF Simples acumula aproximadamente R$ 20 bilhões de patrimônio líquido, com 574.885 cotistas.

Trata-se de uma magnitude tão grande de patrimônio líquido, que a projeção de receita anual oriunda da taxa de administração – equivalente a cerca de R$ 250 milhões de reais – é superior ao que lucram diversas gestoras com estratégias sofisticadas, equipes numerosas e com produtos bem mais atrativos para o investidor.

No ano, até o dia 28/10, o fundo rende 66% CDI.

Fundos de Mono Ação

A categoria dos fundos de mono ação trata de produtos com um objetivo muito claro e indicado no nome: comprar uma única ação e seguir o desempenho do papel.

Diferentemente do modelo de gestão de fundos long only ativos tradicionais, com equipes de 5 a 10 analistas de ações e carteiras compostas por 15 a 20 papéis, os fundos de mono ação geralmente demandam o trabalho de 1 profissional, que será encarregado de executar as ordem de compra e venda da determinada ação-alvo.

Como exemplo, nas plataformas da XP, temos um produto que segue tal estratégia, o Trend XP Inc, que replica o desempenho da ação da XP e cobra taxa zero de administração.

Porém, há fundos de mono ação que cobram taxas similares ou até mais caras do que os fundos de gestão ativa tradicionais.

#3 Itaú Vale FIC FIA

O fundo do Itaú que compra ações da Vale cobra 3,00% de taxa de administração, tem R$ 524,5 milhões de patrimônio líquido, de 16.863 cotistas.

Trata-se de um valor de taxa de administração superior ao que a maioria dos fundos long only de gestão ativa tradicional cobram – de 2,00% – porém para fazer um trabalho passivo no caso do Itaú Vale FIC FIA.

#4 BB Vale FIA

Também destinado a comprar ações da Vale, o fundo do Banco do Brasil cobra 2,00% de taxa de administração e tem cerca de R$ 1 bilhão de patrimônio líquido, com 43.865 cotistas.

Trata-se do maior fundo da categoria Fundos Mono Ação, em patrimônio líquido.

Fundos de Ações Indexados

Por fim, a categoria dos fundos de ações indexados engloba as estratégias passivas que buscam replicar o desempenho de determinado índice acionário, como o Ibovespa, IBX, SMLL, etc.

Nas plataformas da XP, por exemplo, é possível investir no Trend Ibovespa FIA, que replica o desempenho do Ibovespa e cobra 0,30% de taxa de administração.

#5 Itaú Index Ibovespa FIC Ações

O fundo 100% passivo do Itaú que busca replicar o Ibovespa cobra 2,00% de taxa de administração e tem R$ 198 milhões de patrimônio líquido, com 5.280 cotistas.

Trata-se o mesmo nível de taxa de administração que a maioria dos fundos de ações ativos cobram.

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

Share This
[d]
[d]
[d]
[d]