Quais são os melhores investimentos para quem tem filhos? | Focalise
Finanças Pessoais

Quais são os melhores investimentos para quem tem filhos?

Investimentos para quem tem filhos
Focalise
Escrito por Focalise

Quem não conhece tanto o mundo financeiro pode pensar que a caderneta de poupança ainda é um dos melhores investimentos para quem tem filhos. Os pais colocam um dinheirinho nessa aplicação todo mês e o montante vai rendendo, até o filho chegar a certa idade, mais velho, e poder sacar uma bolada. Esse é o pensamento geral de quem tem filhos e pensa no futuro deles. Mas, nos dias de hoje, existem outras opções que vão bem além da poupança. Essa aplicação hoje em dia traz baixa rentabilidade, ainda que tenha o benefício da não incidência do Imposto de Renda. Você tem dúvidas sobre qual investimento seria o melhor para você, que tem filhos? Não sabe como fazer isso? Continue a leitura!

Tenha uma meta em mente

É bastante válido, para juntar dinheiro, ter uma meta. O mesmo vale para poupar e investir para os filhos. A meta seria pagar uma faculdade? Comprar o primeiro carro? É preciso pensar qual a finalidade de poupar esse dinheiro. Tal questão é importante, pois assim você evitará usar a quantia a ser economizada antes do tempo planejado. Se seus filhos ainda são crianças e seu objetivo é a faculdade, vale a pena optar por aplicações com riscos maiores. Contudo, se já são adolescentes, você terá menos tempo para o dinheiro ser efetivamente aproveitado, então é preciso focar na preservação do patrimônio. Observe, a seguir, alguns dos melhores investimentos para quem tem filhos, indicados por economistas.

Invista em ações

Quando o assunto é ser funcional em longo prazo, as ações podem despontar como um dos melhores investimentos para quem tem filhos. Algumas estratégias de risco podem ser tomadas quando se tratam de crianças. O educador financeiro Mauro Calil, em reportagem à UOL, diz que de 0 a 7 anos de idade é aconselhável investir 100% nas ações. Após esta fase, até os 15 anos de idade, ele aconselha mesclar com outros investimentos. A exposição ao risco quanto aos investimentos deve diminuir na adolescência, sendo indicado buscar outro tipo de renda fixa. Ainda sobre ações, é importante investir todo mês para obter bons resultados.

Aposte no Tesouro Direto

Nesta aplicação financeira, que é de longo prazo, empresta-se dinheiro ao governo (ao Estado brasileiro e não a um órgão específico) por meio da compra de títulos públicos. O risco de prejuízo nesta opção é muito baixo, o que a exibe como um dos melhores investimentos para quem tem filhos, pois os títulos são garantidos pelo Tesouro Nacional. A partir de um valor baixo, como R$ 30, por exemplo, é possível investir em títulos do governo, que acompanham a taxa de juros básica da economia. É importante estar atento ao vencimento do título público: podem ocorrer perdas em alguns casos se o resgate for feito antes da hora. Para investir no Tesouro Direto você precisará de um agente de custódia. Entre os títulos, a melhor opção é o Tesouro IPCA + 2035 (NTNB Principal), pois o valor mínimo inicial é baixo e ele protegerá o seu investimento da inflação atual.

Conheça os CDBs

CDB é a sigla para o Certificado de Depósito Bancário. Os CDBs são títulos emitidos pelos bancos a fim de captar recursos para amparar suas operações creditícias e comerciais. É uma boa opção para quem deseja uma rentabilidade melhor que a caderneta de poupança. O banco remunera com juros a quem emprestou; e os juros variam de acordo com a quantia captada. Basicamente, existem dois tipos de CDBs: os pré-fixados e os pós-fixados. Os pré-fixados são os títulos em que o investidor sabe exatamente o quanto receberá no vencimento; já nos pós-fixados, o valor recebido será de acordo com o indexador. Neste caso, é utilizado o valor do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) como base para o CDB, cujo valor será medido de acordo com a média diária do valor emprestado entre os bancos. É indicado procurar um CDB que remunere no mínimo 100% do CDI.

Beneficie-se da Previdência Privada

Os planos de previdência privada também estão entre os melhores investimentos para quem tem filhos, para aplicações de longo prazo. Mas é preciso atentar-se para o plano escolhido, o PGBL ou VGBL, a tabela progressiva ou regressiva do regime de tributação e, especialmente, aos custos de investimento. No Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) é permitido abater as contribuições para a previdência do Imposto de Renda. Mas, apenas se o investidor utilizar a declaração completa, com o limite de 12% de renda tributável. Já no Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) este abatimento não é possível. Só que, para quem deseja fazer investimento sucessório e para quem usa a declaração simplificada do IR, o VGBL é melhor. No PGBL, o tributo incide na hora do resgate sobre todo montante acumulado; e no VGBL o imposto incidirá sobre a rentabilidade. Estas são as vantagens mais interessantes dos planos de previdência em relação aos fundos de investimentos comuns: o dinheiro que seria revertido em impostos continua a rentabilizar ao longo dos anos. No que diz respeito às crianças, o VGBL é comumente apontado como a melhor ideia. Mas, é preciso sempre verificar a taxa de administração e de carregamento. As taxas de administração podem variar, de modo que costumam ser maiores do que as praticadas em fundos comuns. Já a taxa de carregamento incidirá no momento do aporte, em que parte do dinheiro aplicado será diminuída.

Conheça as Letras de Crédito

A Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) e a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) são dois tipos de investimento de renda fixa que também podem ser considerados como alguns dos melhores investimentos para quem tem filhos. Certificam um retorno superior à conhecida caderneta de poupança e também são isentos de Imposto de Renda. Tanto as LCIs quanto as LCAs são emitidas por um banco e podem ter rentabilidade pré ou pós-fixada. No caso da pós-fixada, quanto maior o prazo e o valor da aplicação, maior o percentual do CDI pago aos investidores. Uma das vantagens das letras de crédito é que são garantidas pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o limite de R$ 250 mil: caso o banco onde você investe tenha algum problema, o FGC cobrirá até aquele limite aplicado. Se você deseja investir acima daquele valor, a dica é escolher vários títulos de instituições diferentes. Do ponto de vista de quem vai investir, não faz muita diferença escolher entre LCI ou LCA. A partir de R$ 1000 é possível fazer aplicações que pagarão cerca de 90% do CDI. O interessante é pesquisar antes de tomar qualquer decisão. Você também pode contar com a ajuda de profissionais especializados. Assim, poderá assegurar da melhor forma o futuro dos seus filhos.

 

Este artigo foi esclarecedor? Tem alguma dúvida ou sugestão para fazer? Deixe seu comentário aqui no post.

Aproveite e assine a newsletter para ficar por dentro das novidades no blog!

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

4 comentários

  • Caro Momberger, acompanho seu trabalho há bastante tempo, tenho grande apreço por seu trabalho e mais, sinto confiança na sua atividade, seja como orientador ou com investidor. tenho certeza que seu novo Blog será um grande sucesso.
    Grande abraço

    • Grande Whalter

      Muito obrigado! Espero continuar lhe ajudando atraves de todos nossos materias ( e canais )

  • Excelente conteúdo, referência para tomada de decisões! Sucesso!

Share This
Navegação
[d]
[d]
[d]
[d]