Jornada do investidor: tudo o que você precisa saber
Dicas Finanças Pessoais

Jornada do investidor: tudo o que você precisa saber

Focalise
Escrito por Focalise

Você já ouviu falar sobre a jornada do herói? Joseph Campbell, em 1949, criou essa terminologia para descrever um processo de doze etapas pelo qual todos os heróis passam durante uma narrativa. Só que isso não se restringe apenas a esses personagens, já que também existe a jornada do investidor.

A lógica aqui é a mesma: existe um caminho lógico no qual todas as pessoas passam para se tornar investidores. Durante o processo, é esperado que alguns curiosos desistam no meio do caminho e que outros se dividem em três grupos de investidores — os iniciantes, os inteligentes e os sofisticados.

Ficou curioso para conhecer a jornada do investidor e descobrir em qual etapa você está? Então continue a leitura, vamos falar tudo sobre o assunto!

1. O que é a jornada do investidor?

Assim como um herói no início de qualquer aventura épica, as pessoas precisam adentrar em um mundo novo antes de se tornarem investidores. Esse processo, que é dividido em doze etapas, recebe o nome de jornada do investidor. Vamos ver cada uma delas?

1.1 Mundo Comum

Ninguém nasce sendo um investidor de sucesso. Apesar de isso parecer óbvio, é interessante levantarmos esse fato para que você possa fazer uma análise completa de todo o caminho que é necessário percorrer até conseguir, enfim, viver de dividendos e juros.

Antes de adentrar no mundo do investimento, vivemos uma “vida comum”, trabalhando um mês para pagar as contas do anterior. Esse seria o comportamento “típico” do brasileiro.

1.2 O Chamado da Aventura

Só que depois de muito tempo vivendo no mundo comum, pode ser que os problemas da vida atrapalhem sua rotina. Talvez uma conta inesperada, uma demissão ou qualquer coisa que seja um verdadeiro desafio para você.

Nesse momento, fica fácil perceber que apenas continuar com a vida do jeito que estava não é o melhor caminho.

1.3 Recusa ao Chamado

Apesar de tudo indicar que uma mudança é necessária, sair da zona de conforto é um grande desafio. Nesse momento o investidor não sabe, ainda, o que precisa ser feito e prefere acreditar que “as coisas são como são” e que apenas os sortudos conseguem ter sucesso.

1.4 Encontro com o mentor

Durante algum tempo, o investidor continua estagnado em sua vida comum, até que um acontecimento faz tudo mudar. Seja por meio de um blog, canal no YouTube ou um livro sobre finanças, a pessoa percebe que é possível e necessário começar a investir.

Graças a isso o investidor começa a estudar, entender como funciona o mercado financeiro, quais são as opções de investimento, os riscos mais prováveis e formas de se proteger.

1.5 Cruzamento do limiar

Depois de muito pesquisar e de se preparar para a grande jornada, é hora dar o primeiro passo em direção ao novo mundo. Aqui, vemos o surgimento do investidor iniciante, aquele que colocará apenas uma pequena parte do seu dinheiro em aplicações e verá o que acontece.

1.6 Provações, aliados e inimigos

Durante esses primeiros momentos as pessoas acabam encontrando grandes aliados, como amigos que também investem, blogs que falam sobre o assunto e grupos de discussões. Por outro lado, inimigos começam a aparecer — bancos e suas taxas, pessoas negativas, notícias pessimistas, entre outras coisas.

Então, começa a verdadeira provação: é preciso resistir para não cancelar os investimentos e voltar para o mundo comum. O investidor passa a lutar contra as críticas e tenta seguir apenas o caminho que levará até seu objetivo.

1.7 Aproximação — O herói tem êxitos durante as provações

Ao ter êxito, o investidor percebe que está no caminho certo. Isso faz com que sua relação com os aliados fique mais próxima e torna mais fácil a identificação dos “inimigos”. Nessa etapa, a pessoa começa a se preparar para adentrar em desafios ainda maiores.

1.8 Provação

Então surge um novo desafio. O investidor percebe que não poderá ficar apenas dependendo das mesmas aplicações para o resto da vida. Ele precisa inovar, crescer e aproveitar os melhores produtos disponíveis.

É nesse contexto que nasce o investidor inteligente. Ele se arrisca ao tentar investir em novos ativos, mas não sabe, ao certo, se terá sucesso ou não, já que essa é sua primeira tentativa.

1.9 Recompensa

Se mesmo com o receio constante o investidor conseguir seguir em frente, ele passará pela provação. Como resultado, seus ganhos aumentarão significantemente e ele perceberá que conseguiu novos conhecimentos e habilidades e que isso o levará para cada vez mais próximo de seu objetivo (enriquecer).

1.10 O Caminho de Volta – O herói deve voltar para o mundo comum

Após o fim de sua jornada, a agitação da descoberta passa. Agora o investidor volta à vida comum, mas nada é como antes. Agora ele é uma pessoa diferente e apesar de nada ter mudado em seu mundo, a vida é completamente diferente graças às suas experiencias.

Muitos investidores param nessa etapa, se satisfazem com seus conhecimentos e continuam a investir, mas sem avançar muito em sua jornada.

1.11 Ressurreição do investidor – Outro teste no qual o herói enfrenta a morte, e deve usar tudo que foi aprendido.

Para aqueles mais ambiciosos, um novo chamado os aguarda. É aqui que surge, finalmente, o investidor sofisticado. Ele pega todo o conhecimento que já tem, trabalha para encontrar novas formas de usá-lo e adentra no mercado financeiro de uma maneira completamente diferente.

Essa é a provação final que definirá se a pessoa continuará a crescer no mundo dos investimentos ou apenas se manterá com aquilo que já sabe.

1.12 Regresso

Ao apostar em si mesmo, o investidor pode, enfim, usufruir de sua recompensa. Agora ele enfrentou os maiores desafios e teve êxito. Isso significa que essa pessoa consegue continuar a investir constantemente, sempre buscando por maneiras mais eficientes de fazê-lo.

2. Quais são os tipos de investidores

Durante a descrição da jornada do investidor, você reparou que falamos de três tipos de investidores? Citamos os iniciantes, os inteligentes e os sofisticados. Mas quem são eles? Confira!

2.1 Os iniciantes

Os iniciantes são investidores que ainda estão começando no mercado financeiro. Eles não têm muito conhecimento e sentem pouca confiança em investir. Para eles, esse lugar ainda é estranho e a oportunidade de “ganhar dinheiro sem fazer nada” ainda parece uma proposta mentirosa.

2.2 Os inteligentes

Investidores inteligentes já conhecem mais a fundo o mercado financeiro. Eles foram apresentados a mais produtos e conseguem, com certa facilidade, escolher as melhores oportunidades para alcançar excelentes retornos.

Por outro lado, os investidores inteligentes não fazem aplicações de forma sistemática. Acabam por deixar as estratégias de lado e focam apenas na seleção de produtos. Isso significa que eles investem sempre que podem, o que os leva a perder oportunidades mais rentáveis em função da falta de capital.

2.3 os sofisticados

Os investidores sofisticados são o mais próximo que temos do trabalho profissional. Eles são pessoas que detêm muito conhecimento sobre o mercado financeiro, mas que também buscam estratégias que extrapolam o mero conhecimento sobre ativos e oportunidades.

As pessoas que são classificadas como sofisticadas conseguem abusar de estratégias arriscadas, aplicam seu capital e podem recorrer ao dinheiro de terceiros. Esse grupo sempre está em busca de rentabilidades acima da média e não mede esforços para consegui-las.

3. Quais as características de cada tipo de investidor?

Além do comportamento típico de cada grupo de investidores, você também pode conferir as características individuais de cada um deles para tentar se encaixar. Mas cuidado: para conseguir se definir em algum dos tipos de investidor, é necessário compartilhar várias características.

3.1 Iniciante

  • Ainda não controla muito bem sua vida financeira;

  • tem medo de investir, mas quer conseguir mais dinheiro;

  • prefere aplicações protegidas pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC);

  • gosta de rendimento fixo e constante;

  • o mercado da renda variável, como os produtos da Bovespa, o assusta;

  • considera o investimento como algo importante, mas não é seu principal foco ainda;

  • os investimentos são uma forma de conseguir dinheiro extra, não de alcançar objetivos;

  • poupar é um trabalho difícil e por isso prefere aplicações com barreira de entrada (taxa mínima para começar a investir) menores;

  • quer boa liquidez (período de espera antes de resgatar o dinheiro), pois não sabe se precisará do capital para alguma emergência;

  • perde oportunidades pela falta de capital, conhecimento ou segurança para investir.

3.2 Inteligente

  • tem planos financeiros bem montados;

  • consegue direcionar parte do seu salário para as aplicações e parte para a manutenção do seu estilo de vida;

  • conhece a fundo os produtos disponíveis no mercado financeiro;

  • é capaz de reconhecer oportunidades e de escolher as opções que darão o melhor retorno;

  • não pensa estrategicamente e evita riscos desnecessários;

  • segue as clássicas regras de montagem de carteira, diversificando as aplicações em várias classes de ativos;

  • usa apenas o próprio dinheiro para investir;

  • perde grandes oportunidades porque seu capital já está aplicado em outras coisas.

3.3 Sofisticado

  • mais agressivo e não tem medo de arriscar;

  • além de conhecer o mercado financeiro, eles também domina técnicas de investimento e diversas estratégias;

  • usa alavancagem (dinheiro da corretora) e outras fontes de capital de terceiros;

  • não fica presos a apenas uma estratégia e entende que nem sempre a aplicação mais rentável é a melhor escolha;

  • dedica grande parte do seu tempo aos investimentos, sempre procurando por novas estratégias (como o uso de robôs) e possíveis oportunidades (as startups, por exemplo);

  • o foco desse investidor é acumular riquezas, quanto mais dinheiro, melhor;

  • esse grupo é muito próximo do que podemos chamar de investidores profissionais.

4. Quais os principais investimentos para cada tipo investidor?

Com as informações que demos até agora, você conseguiu se encaixar em algum dos tipos de investidores? É importante que sua resposta seja positiva, pois a seguir mostraremos os investimentos preferidos de cada grupo.

4.1 Investimentos dos iniciantes

Como os investidores iniciantes não têm muita confiança nas promessas que os investimentos trazem, eles não gostam de arriscar. Então suas aplicações preferidas são as de renda fixa, sempre protegidas pelo FGC, com alta liquidez e sem possibilidades de perder o dinheiro em função de oscilações.

Nesse caso, o retorno dos investimentos não importa tanto. A segurança e a barreira de entrada são fatores definitivos. Assim, as principais aplicações desse grupo são:

Além dessas opções, os investidores iniciantes também podem se sentir confortáveis para aplicações que não são cobertas pelo FGC, desde que elas não tenham um histórico de perdas. Ainda nesse contexto, algumas pessoas aceitam investir em produtos com liquidez menor.

Dessa forma, um investidor iniciante que entende um pouco mais do mercado financeiro e está começando a testar novas possibilidades pode aplicar em:

  • Certificados de Recebíveis Imobiliários e do Agronegócio (CRI e CRA);

  • Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA);

  • Debêntures.

4.2. Investimentos dos inteligentes

Os investidores inteligentes dão um passo adiante. Eles conhecem mais do mercado, sabem que os mitos sobre renda variável não são reais e estão dispostos a colocar seu dinheiro onde paga melhor. Por isso, sua carteira é repleta de opções, sempre se protegendo dos diferentes cenários econômicos e políticos.

Investidores inteligentes mesclam aplicações de renda fixa e renda variável, e com isso podem ter em seu portfólio:

  • Certificados de Recebíveis Imobiliários e do Agronegócio (CRI e CRA);

  • Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA);

  • Debêntures;

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);

  • Fundos (Fundos multimercado, referenciado, renda fixa, ações e cambiais);

  • Ações;

  • Startups.

4.3 Investimentos dos sofisticados

Diferente dos dois primeiros, os investidores sofisticados não têm um investimento preferido. Eles investem usando várias estratégias para alcançar as maiores rentabilidades. Então eles não têm tanta preocupação com a segurança, como os iniciantes, nem com a diversificação, como os inteligentes.

Dessa forma, investidores sofisticados usam tudo que está a sua disposição para alcançar seus objetivos. É comum que eles aproveitem a alavancagem para, por exemplo, criar oportunidades no mercado de opções.

Entretanto, atualmente podemos dizer que o mercado de renda variável é o preferido dos investidores sofisticados, porque ele tem apresentado boas oportunidades e pode ser usado em curto, médio e longo prazo. Só que se a situação mudar, esse grupo não pensará duas vezes antes de migrar para a renda fixa.

4.4 Outros investimentos

Além dessas aplicações, existem outros produtos que podem ser excelentes investimentos, mas que exigem boa estratégia na hora de operar. São eles:

5. Quais são as principais dicas para ter uma jornada de investimento de sucesso?

Se você está começando sua jornada de investidor agora, algumas dicas podem ajudar bastante. Afinal de contas, você já viu que precisa de um mentor, não é mesmo?

5.1 Pesquise bastante

Um mundo novo é sempre um grande desafio. É preciso conhecer e entender diversas coisas, os perigos não são muito claros e podemos nos perder por falta de informação e conhecimento. Isso pode atrapalhar na descoberta de grandes oportunidades.

Então, pesquise bastante. Use seu tempo para entender como funcionam os investimentos, de que forma a corretora ganha dinheiro, para que servem indexadores, quais são os riscos e seguranças de cada aplicação, entre outras dezenas de informações relevantes.

5.2 Escute a opinião de especialistas

Por mais que você pesquise e estude, a verdade é que nenhum conhecimento se compara à prática. Então além de entender toda a parte teórica, é necessário escutar, conversar e seguir os conselhos de quem já está a mais tempo no mercado.

Investidores profissionais, gestores de fundos de investimentos e traders profissionais frequentemente fazem publicações e lançam vídeos. Procure por esse material e veja como é que eles lidam, na prática, com suas próprias carteiras e com os investimentos de seus clientes.

5.3 Aprenda a poupar

Depois de investir por alguns anos, você começará a perceber a importância de poupar. Só que até lá, várias oportunidades podem ser perdidas. Então comece se planejar financeiramente desde já. Mesmo que esse dinheiro excedente não seja usado para investir, o planejamento é algo saudável para sua vida.

Existe uma máxima que diz que todas as pessoas precisam poupar, em média, 30% de seus salários. Caso você não consiga fazer isso, provavelmente seu estilo de vida está mais elevado do que o que sua situação financeira suporta, então tome cuidado.

5.4 Não tenha medo do mercado

O mercado de investimentos é, sim, um mundo nebuloso para as pessoas que estão fora dele. Existem investidores que têm tanto poder e influência que conseguem simplesmente mudar o rumo da economia ao aplicar em A em vez de B.

Apesar disso, os investimentos são muito recompensadores para quem se dedica a entendê-los. Mesmo não sendo um grande player (investidor), os produtos disponíveis podem, sim, ajudar você a alcançar objetivos pessoais. Só que para isso dar certo é preciso deixar o medo de lado e adentrar nesse mundo.

5.5 Tenha uma reserva de segurança

O caminho lógico de qualquer investidor é começar aplicando em renda fixa e, aos poucos, ir diversificando sua carteira. Esse percurso é importante porque traz segurança para as pessoas e evita perdas desnecessárias.

É nessa etapa da sua jornada que você, investidor, vai formar a reserva de emergência. Esse é um dinheiro que fica aplicado em investimentos com alta liquidez (normalmente o Tesouro Selic) e que equivale a seis meses do seu salário mensal.

A reserva de emergência é seu porto seguro e ajudará no caso de um acidente, doença, demissão ou qualquer eventualidade que impeça o trabalho. Então, a primeira coisa a ser feita quando começar a investir é conseguir acumular esse montante.

6. Quais os principais benefícios de saber investir?

Depois de falarmos tanto sobre a jornada do investidor, talvez seja importante relembrar dos benefícios de investir, não é mesmo? Assim você se motiva, mais uma vez, para entrar de cabeça no mercado financeiro.

6.1 A liberdade financeira é alcançada

Certamente a maior vantagem de todas é a liberdade financeira. Ao investir periodicamente você consegue montar um patrimônio que o protege da necessidade de fazer empréstimos, aceitar negócios arriscados ou ter que vender seus bens por causa de um imprevisto.

Além disso, você se sente mais livre para se divertir. Aquele medo de não conseguir pagar as contas ao final do mês deixa de existir e é possível usar seu dinheiro de maneira mais tranquila.

6.2 O estresse diário diminui

Como um reflexo da liberdade financeira, o estresse diminui. A vida fica com um ar mais leve, com menos preocupações. Isso impacta diretamente em sua saúde, melhorando seu sono, sua disposição e deixando de lado aquele cansaço persistente.

Depois de aprender a investir e fazer isso mensalmente, você vai perceber que tem muito mais necessidades do que apenas juntar dinheiro. Uma vida saudável, com equilíbrio entre a diversão e o trabalho, será seu verdadeiro objetivo.

6.3 Você protege seu futuro

Depender da previdência pública está cada vez mais difícil, não é mesmo? Ao se aposentar, sua renda cai drasticamente e existe uma grande chance de que no futuro a aposentadoria nem seja mais uma opção. Nesse caso, só poderá aproveitar da velhice quem se preparou para ela.

Os investimentos são uma boa forma de juntar esse dinheiro. Dependendo de quanto você poupou, é possível que os rendimentos das aplicações se equiparem com seu salário antes da aposentadoria. Já pensou em receber um salário assim sem precisar trabalhar? Isso é possível!

6.4 As metas podem ser alcançadas

Os investimentos não precisam ser feitos apenas para juntar dinheiro ou se proteger. Eles podem ser usados para qualquer coisa. Se você tem uma meta, seja ela para lazer ou para sua vida profissional, ela pode ser alcançada graças a uma boa estratégia de poupar e investir.

Se você quer fazer uma viagem, por exemplo, e sabe que precisará de R$ 10.000,00, que tal planejá-la usando os produtos disponíveis no mercado financeiro? É só ir investindo até alcançar esse valor. Dessa forma você deixa suas reservas protegidas e ainda consegue fazer a tão sonhada viagem.

Agora que relembramos dos benefícios de investir, fica fácil ver a importância de seguir na sua jornada do investidor, não é mesmo? Por mais complicado que esse percurso possa parecer no início, lembre-se que existe uma recompensa esperando por todos aqueles que se esforçam.

Se você ainda não encontrou seu mentor, mas está precisando de um empurrãozinho para “cruzar o limiar”, entre em contato com a gente. Nós podemos ajudar!

Sobre o autor

Focalise

Focalise

A Focalise surgiu da necessidade dos investidores em ter um ambiente para o debate, educação e apoio às decisões no mercado de capitais.

Buscamos informar, orientar, educar e oferecer serviços que facilitem o entendimento e a identificação das oportunidades de investimentos.

Share This
Navegação
[d]
[d]
[d]
[d]